O Polo Sobral de Educação a Distância (EaD) do Centro Universitário Inta – UNINTA, comunica que, a partir do semestre 2020.2, os acadêmicos terão direito a uma nova e importante ferramenta para auxiliar nos estudos. É o aplicativo AIAMIS, criado pela Diretoria de Inovação Educacional (DIRIN), em parceria com o NTI – Sistemas.

Com o preenchimento do cadastro acadêmico, cada estudante do UNINTA EAD, dá direito a navegar por todos os recursos digitais da instituição de qualquer localização, por meio do celular. A plataforma AIAMIS começou a funcionar no início de setembro, disponibilizando seu serviço para download nos sistemas Android e IOS. Ao todo, já são mais de 100 instalações em dois meses de uso.

A ferramenta tecnológica foi criada para facilitar ainda mais o acesso dos estudantes às informações sobre a sua vida acadêmica. “É um mecanismo que está sendo atualizado, ou seja, estamos desenvolvendo outras funções do aplicativo, para que cada vez mais ele se torne uma ferramenta de trabalho diário do aluno, ligado às coordenações, reitorias e ao Centro Universitário como um todo”, afirma o Diretor da Dirin, João José Saraiva da Fonseca.

A primeira versão do aplicativo surgiu em 2014, e foi sendo aprimorado até chegar à versão atual. Sobre a nova versão, o idealizador do aplicativo Felipe Almeida explica que, “um dos pontos mais importantes da ferramenta é facilitar o acesso de todos os estudantes aos principais serviços do UNINTA, como por exemplo o ambiente virtual, área do aluno, AVA, entre outros, com a possibilidade de tirar dúvidas a partir que fosse surgindo. Tivemos um feedback bastante positivo, pois o dispositivo está sendo apresentado para os estudantes aos poucos”, complementa.

Para que o próprio aplicativo tivesse a capacidade de tirar as principais dúvidas, foi criada uma espécie de assistente virtual, que responde possíveis questões e tem acesso a várias informações a respeito dos projetos que os estudantes utilizam.

O desenvolvedor e um dos criadores da ferramenta, Jairo Chaves, explica que, “houve o treinamento da assistente virtual que a gente chama de ‘Ísis’, para que as respostas às perguntas dos alunos, em sua maioria, pudessem ser dadas automaticamente”, ressalta.