Autonomia, desafios, gestão, tecnologia e metodologias de Educação foram alguns dos temas destacados no 1° Encontro Virtual Ead do Ceará: Novas perspectivas para Mestrado e Doutorado EaD, ocorrido no último dia 15 de setembro.

Durante a manhã, os participantes puderam acompanhar discussões e visões pertinentes sobre os requisitos para a inserção do Mestrado e Doutorado na grade curricular modalidade EaD, com profissionais importantes da área.

Para a Dra. Vice-Reitora do Centro Universitário Inta (UNINTA), Lara Martins Spíndola Rodrigues, as discussões que envolvem a Educação a distância têm sempre grande significância para a comunidade acadêmica.

“A educação a distância possibilita a democratização do ensino superior. E ter perspectivas para o Mestrado e Doutorado na modalidade trata-se de ter expectativa para o fortalecimento do ensino em regiões que possuem carência em determinados cursos. A inserção das formações no EaD quebram paradigma e é fundamental que as discussões sejam constantes”, afirmou.

Para o Pró-Reitor de EaD do UNINTA, Prof. Lindomar Jémison Moura Spíndola Rodrigues, o EaD já comprovou a sua importância na comunidade acadêmica e ganhou visibilidade de todos com a pandemia.

“A educação foi salva pelo EaD durante aquele período e nós não podemos agora perder a oportunidade de elevarmos o nível com Mestrado e Doutorado e qualificar mais pessoas na educação superior”.

Autonomia e liberdade foram pontos presentes durante todas as discussões. Isso porque, como disse a Prof. Cleunice Rehem, “sem a autodeterminação das instituições de ensino, para definir o tempo de estudo e defesa das teses, os pré-requisitos de admissão e/ou a definição de critérios de sua avaliação pelo estudante junto com seu avaliador, o progresso do EaD será lento e atrasará a evolução da educação pelo ensino superior”.

Outro ponto marcante foram as discussões sobre a transição didática e a tecnologia. Em sua fala, o Prof. Luiz Roberto de Oliveira, da Universidade Federal do Ceará (UFC), ressaltou que o apoio tutorial é primordial para o sucesso do aprendizado.

“As forças de trabalho constituídas nas instituições EaD precisam estar alinhadas para que a evasão seja menor. Tecnologia, gestão e operacional precisam caminhar juntas”.

A inovação, um dos principais compromissos do UNINTA, foi destacada na apresentação feita pelo Prof. Dr. João José Fonseca, do novo Ecossistema de Aprendizagem, que propõe uma educação mais colaborativa e melhor interação entre estudantes, professores e tutores.

“A aprendizagem coletiva assegura experiências mais interativas e ricas, que ampliam o comprometimento com a excelência por todos os agentes da educação”, evidenciou. O evento foi gravado e pode ser assistido a qualquer momento.